segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Febrão


Olhos ardendo, quartos doendo.
Olhos ferventes choram sem querer,
lágrimas quentes parecem ferver.
Sobre a pele quente qualquer brisa torna-se um temor,
Os pelos arrepiam-se, conservando o calor.
Meu peito parece latejar,
Gritando algo que não que mudar,
Nem amor, nem paixão,
Febrão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário